“Sistemas de Crescimento”: A NTT DATA e o Everest Group analisam a estratégia cloud dos serviços bancários e financeiros | NTT DATA

qua, 20 julho 2022

“Sistemas de Crescimento”: A NTT DATA e o Everest Group analisam a estratégia cloud dos serviços bancários e financeiros

O setor dos serviços bancários e financeiros é um dos principais precursores da adoção de serviços na cloud. Atualmente, a estratégia cloud é uma das três principais preocupações dos CIOs, do sector da Banca, num momento em que as instituições desenvolvem processos de transformação digital, modernizam as infraestruturas tecnológicas e criam novos produtos, serviços e fluxos de receita. 

Como interveniente ativa no setor dos serviços de tecnologia bancária, a NTT DATA reconhece os desafios e as oportunidades decorrentes do surgimento de tecnologias capazes de mudar o paradigma atual, como os serviços na cloud, procurando estar sempre a par de todos os desenvolvimentos e estar na linha da frente da sua implementação. 

Neste sentido, os consultores mais experientes das equipas de banca e serviços financeiros da NTT DATA, que contam com pessoas da área de desenvolvimento de produtos, de consultoria técnica e de marketing e vendas, participaram num workshop de duas partes em conjunto com o Everest Group, no sentido de explorar temas e prioridades que motivam a migração contínua para serviços baseados na cloud no mercado empresarial da banca global. 

Motivações

A eficiência e o custo são fatores que os bancos consideram fundamentais quando decidem migrar serviços para a cloud. De facto, as economias financeiras e de tempo são muitas vezes vistas como os principais motivos para a adoção dos serviços cloud, mas é importante salientar que não são os únicos argumentos que levam os bancos a aderir a estes serviços. A inovação e o tempo de colocação no mercado são tão importantes como as economias financeiras e de tempo. Além disso, estes serviços ajudam a criar uma melhor experiência de utilizador.

Este é um avanço significativo. À medida que os bancos mais inovadores começam a lançar serviços de cariz predominantemente digital, os clientes de bancos regionais e globais estabelecidos esperam uma experiência de utilizador mais refinada, em conformidade com o modelo personalizado e centrado no cliente que começa a emergir no setor bancário. A mudança para serviços baseados na cloud pretende aproveitar o poder dos dados partilhados para estimular melhores decisões e maior eficiência e criar interações novas, mais oportunas e com foco na eficácia.

Mas como poderão os bancos e os seus parceiros de tecnologia navegar num cenário tão complexo e em constante evolução sem perder o foco no fator crítico subjacente de toda esta mudança que é o cliente? E como poderão os bancos enfrentar outros riscos associados?

“Sistemas de Crescimento”

Houve um conceito que se destacou entre as muitas sugestões e provocações exploradas no nosso workshop sobre estratégias cloud, na banca e serviços financeiros: o conceito de «sistemas de crescimento».

Em poucas palavras, no contexto de migração/adoção de serviços cloud, «sistemas de crescimento» é um termo que designa uma abordagem multidimensional, com vista a oferecer uma experiência ao cliente final que pareça personalizada, fluida e oportuna.

Na prática, trata-se da oferta de experiências fluidas, end-to-end, ao cliente por meio da coordenação de vários recursos. O sistema bancário central, os protocolos IP e os mecanismos de processamento de dados obtêm, consolidam e organizam «ocorrências» ou «eventos» de parceiros de canal e de outras fontes de dados.

Um banco com um sistema eficaz para obter e organizar informações de vários fluxos de dados em todo o seu ecossistema terá mais oportunidades para atrair clientes finais de maneira eficaz e lucrativa.

Assim, neste contexto, o conceito de «sistemas de crescimento» diz respeito à utilização da cloud como uma plataforma central altamente configurável para a recolha, organização e processamento de diferentes fluxos de dados, de forma a criar uma experiência mais rica e mais económica, tanto para o banco como para os clientes.

Vejamos alguns exemplos da utilização da abordagem baseada nos sistemas de crescimento de soluções cloud e das vantagens que oferecem ao  cliente de bancos e serviços financeiros.

  • Cloud para aumentar a eficiência: os serviços e as soluções baseados na cloud reduzem os custos de mão-de-obra, tecnologia, imobiliário, energia e outros custos que a instituição tem de suportar, o que permitirá obter poupanças num ambiente de boa gestão, mitigar riscos e agilizar os processos, o que acabará por se refletir positivamente nos clientes e acionistas.
  • Cloud para aumentar o crescimento: as instituições devem aproveitar a oportunidade para se distinguirem das demais, em aspetos que vão da segurança de ligação ao ecossistema financeiro até ao lançamento de novos produtos e serviços a um ritmo acelerado.
  • Cloud para monetizar o IP: a migração de serviços para a cloud permite que as equipas de promoção de procura montem, analisem e utilizem grandes quantidades de dados de várias fontes, identificando oportunidades que antes eram «invisíveis» e construindo ofertas oportunas e dirigidas aos clientes finais.
  • Cloud nativa: as instituições que procuram construir serviços e, se possível, plataformas de vanguarda, eficazes e à prova de futuro podem optar por começar de raiz em vez de tentar «transformar» um sistema ou uma abordagem existente. Se não for possível começar de raiz, rearquitetar os sistemas existentes é outra boa maneira de preparar os serviços para o futuro.

Desta forma, na prática, se fosse utilizada por um banco global ou regional, a estratégia dos sistemas de crescimento visaria migrar/implementar a cloud em segmentos como os mencionados aqui e, provavelmente, envolveria vários parceiros tecnológicos, tal como mostraremos abaixo quando abordarmos uma das principais restrições à migração para a cloud: a escassez de talentos.

A escassez de talento humano limita o crescimento de serviços cloud

Apesar de todas as oportunidades que os serviços baseados na cloud oferecem, um desafio que todos os setores que ponderam a migração para a cloud ou o desenvolvimento de serviços nativos na cloud enfrentam é a falta de talento qualificado para desenvolver, implementar e gerir serviços num cenário de aumento exponencial da procura.

Muitos bancos globais que procuram obter vantagens por aderirem cedo à oferta de serviços baseados na cloud descobriram que a escassez de talentos é um dos obstáculos mais difíceis de ultrapassar. Além disso, vemos os principais fornecedores de serviços tecnológicos a debater-se para encontrar uma solução para este problema. 

No entanto, a mitigação do problema da escassez de talentos é um desafio complexo que vai muito para além de qualquer setor e se estende até aos campos da educação e da política macroeconómica. Assim, o que pode uma instituição financeira individual fazer no planeamento de curto e médio prazo para contornar este problema?

Na NTT DATA, parte da solução reside num compromisso de longo prazo, que passa pelo investimento nas gerações presentes e futuras de colaboradores, em particular, em engenheiros que projetam, constroem e mantêm as plataformas que permitem o fornecimento de serviços bancários baseados em serviços cloud:

  • programas de formação e recrutamento para programadores, engenheiros de sistemas e outros que integram as equipas de trabalho depois de concluírem a educação formal de maneira a desenvolver um novo segmento dinâmico e crucial para a economia;
  • centros de excelência que juntam novos e membros mais experientes destas equipas de trabalho de vanguarda, de forma a assegurar que os clientes de serviços bancários e financeiros atuais e futuros tiram proveito das vantagens dos serviços e recursos da NTT DATA disponibilizados na cloud.

Saliente-se que a escassez de talentos também é combatida por meio da utilização do ecossistema de ativos e parcerias da NTT DATA, que, além de fazer uso da computação em hiperescala, recorre a parceiros setoriais, ativos próprios e aceleradores.

Conclusão

A conclusão fundamental do nosso workshop sobre estratégias para os serviços na cloud é a de que uma estratégia multi-cloud é, sem dúvida, uma das abordagens mais eficazes e inteligentes a ter em conta pelos bancos e outras instituições financeiras que pretendam criar e executar uma estratégia de transformação digital. Uma das principais vantagens da estratégia multi-cloud é o facto de ser adaptável e, portanto, permitir que as instituições escolham soluções específicas que funcionem melhor em cada caso. Da mesma forma, as instituições não terão de ficar dependentes de soluções disponibilizadas por um único fornecedor para um número variável de áreas. Por exemplo, a plataforma Google Cloud pode ser usada para dados e análises, enquanto a AWS pode ser usada para gerir cargas de trabalho e a MS Azure para o local de trabalho. 

Em última análise, diferentes fornecedores de serviços na cloud serão mais adequados para diferentes áreas: uma instituição deve tirar o máximo proveito de um leque variado de fornecedores para obter os melhores benefícios em cada área particular. Ao utilizar vários parceiros de tecnologia, o problema da escassez de talentos e outros riscos são distribuídos por uma rede mais ampla, o que significa que a instituição não dependerá excessivamente de um único fornecedor – incluindo de soluções de computação em hiperescala – e o banco poderá disponibilizar um pacote mais abrangente de serviços na cloud, enquanto que os clientes finais do banco poderão desfrutar das vantagens de uma experiência personalizada.


How can we help you

Get in touch